Bandeira vermelha: é hora de gerar sua própria energia! - SustentArqui

Rio de Janeiro 26/10/2017 | 19:02 - Por: Danielle Garcia

Bandeira vermelha: é hora de gerar sua própria energia!

bandeira vermelha energia solar

O mais recente anúncio da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), publicado no dia 24 de outubro de 2017, foi sobre a proposta para os novos valores das bandeiras tarifárias de energia, que são taxas extras cobradas a partir do momento que os custos na geração de energia aumentam.

A partir de novembro, o patamar 2 da bandeira vermelha, que é a maior taxa em vigor, passará de R$3,50 para R$5,00 a cada 100 kWh consumidos. Por outro lado, o patamar 1 da mesma bandeira continua em R$3,00 e a bandeira amarela cai de R$2,00 para R$1,00. Curioso, pois nas vésperas do verão, onde o consumo aumenta de forma significativa devido ao intenso uso de aparelhos de ar condicionado, eu me pergunto qual será a bandeira utilizada nos próximos meses… Precisa responder?

bandeira vermelha - infografico

Fonte: ANEEL

 

Quando usinas térmicas mais caras têm que ser usadas para garantir o suprimento de energia para o país e não haver risco de racionamento, são acionadas as bandeiras tarifárias amarela e vermelha, que significam um adicional na tarifa de energia dos consumidores. Para termos uma ideia, a energia proveniente das termelétricas é seis vezes mais cara que a energia proveniente das hidrelétricas.
Outra novidade é que além da expectativa das chuvas e do custo da geração na termelétrica, a partir de agora, também serão levados em consideração para os gatilhos, os níveis dos reservatórios. Considerando os níveis criticamente baixos dos reservatórios das hidrelétricas, é provável que as bandeiras tarifárias sejam acionadas com mais frequência, aumentando a conta de energia do consumidor final.

Por isso, mais do que nunca, é preciso estarmos atentos ao direito que temos de produzir nossa própria energia.

 

Desde 2016, a ANEEL através da REN 687/15, permite que qualquer consumidor gere sua própria energia, seja em seu telhado ou terreno, seja por geração remota. Isso quer dizer que, instalando um sistema fotovoltaico, por exemplo, o consumidor tem potencial para produzir a energia que consome, conquistar independência da concessionária que o atende e, melhor, ter liberdade em relação aos aumentos constantes da tarifa e suas bandeiras.

Um estudo de viabilidade para cada caso levará em consideração algumas variáveis como área disponível, orientação solar, sombreamentos, etc. Empresas especializadas do setor, na maioria das vezes, realizam esses estudos sem custo inicial.

Relacionado: Como alcançar sua independência energética

Apesar da matriz energética brasileira mostrar que a energia fotovoltaica representa menos de 0,02%, o mercado de energia fotovoltaica no Brasil tem crescido rapidamente. Uma prova disso é que o preço de um sistema reduziu cerca de 30% neste ano e o payback desse investimento já gira em torno de 5 anos. Considerando a durabilidade das placas, de 25 anos, é possível ter energia barata durante bastante tempo.

Uma energia limpa e de fonte gratuita, em um país com um potencial enorme para geração. Segundo o Atlas Brasileiro de Energia Solar, o país recebe mais de 3 mil horas de luz do sol ao ano, o que corresponde a uma incidência solar diária de até 6.300 Wh/m². Na Alemanha, líder mundial em energia solar, a incidência de luz solar cai 40% em sua região de maior potencial quando comparado ao Brasil.

incentivos fiscais para energia solar

Foto: Bernd Sieker – Creative Commons license

 

A Resenha Energética Brasileira de 2017 mostra que 85,8% dos consumidores de energia elétrica no Brasil são residenciais. Estamos falando de cerca de 6 milhões de telhados com alto potencial de geração de energia. Por outro lado, somente três em cada dez brasileiros sabe que é possível gerar sua própria energia em casa através de fontes renováveis.

Então, vamos compartilhar! Sem entrarmos no mérito ambiental, apesar de que isso me motiva muito, vamos ficar atentos à oportunidade real que temos de economia doméstica. Simples assim!

 

Matéria enviada pela arquiteta Danielle Garcia – LEED AP BD+C, consultora de sustentabilidade para casas e edifícios.

, ,

Comments

iptu amarelo SALVADOR

IPTU Amarelo: Salvador dará desconto à casas com energia solar

Após o IPTU Verde, prefeitura de Salvador lança o programa IPTU Amarelo, que concede desconto de 10% no valor pago ...
Painéis solares giratórios são destaque na nova obra de Shigeru Ban

Painéis solares giratórios são destaque na nova obra de Shigeru Ban

O premiado arquiteto Shigeru Ban projetou um complexo de música, perto de Paris, em forma de ovo e uma fachada ...

Produtos Sustentáveis mais procurados

Tanque Coletor de Água de Chuva ( Cisterna Aparente )

Tanques para captação de água de chuva.

Ecofossa- sistema ecológico de tratamento de esgoto

Ecofossa é um sistema ecológico de tratamento de esgoto que maximiza ações de bactérias e não utiliza energia ...

Notícias mais acessadas

dicas para reaproveitar pallets

Dez dicas para reutilizar paletes de madeira

Afinal, o que é um pallet ou palete? Para que serve? A palavra pallet é de origem inglesa, e em português se ...
vantagens telhados verdes

Vantagens e desvantagens de um telhado verde. Veja exemplos.

Telhado verde, terraço jardim, cobertura vegetal, ecotelhado, telhado ecológico, são vários nomes para esse sistema ...