Arquiteto Frei Otto é o vencedor do Pritzker 2015 - SustentArqui

Rio de Janeiro 11/03/2015 | 11:36 - Por: Juliana Rangel

Arquiteto Frei Otto é o vencedor do Pritzker 2015

Frei Otto

O alemão Frei Otto foi anunciado ontem como o vencedor do prêmio Pritzker de 2015, um dia depois de sua morte, aos 89. Segundo o júri, o arquiteto e engenheiro praticou e avançou ideias de sustentabilidade muito antes do tema estar em voga.

O anúncio, que estava previsto para ser divulgado no dia 23 de março, foi antecipado devido ao falecimento do arquiteto. Mas o arquiteto já havia recebido a notícia do prêmio pessoalmente em sua casa, quando teve oportunidade de agradecer ao júri e a sua família.

“Nunca fiz nada para ganhar este prémio. O sentido da minha arquitectura foi desenhar novos tipos de casas para ajudar as pessoas mais pobres especialmente após desastres naturais e catástrofes. Mas eu não poderia receber coisa melhor do que ganhar este prémio. Usarei o tempo que me resta para continuar a fazer aquilo que sempre fiz, que é ajudar a humanidade. Sou um homem feliz”, disse o arquitecto alemão

Frei Otto nasceu em Siegmar, Alemanha, em 31 de Maio de 1925, e cresceu em Berlim, “Frei” em alemão significa “livre”; sua mãe pensou no nome depois de participar de uma palestra sobre a liberdade.

Frei Otto Parque Olímpico de Munique

Frei Otto Parque Olímpico de Munique

Parque Olímpico de Munique – Uma das obras mais conhecidas de Frei Otto

 

Em 1943, Otto foi chamado para o serviço militar, em abril de 1945 foi capturado e se tornou um prisioneiro de guerra. Ele permaneceu por dois anos em um campo de prisioneiros perto de Chartres, na França. Lá ele trabalhou como arquiteto de campo; e ali aprendeu a construir muitos tipos de estruturas com o mínimo de material possível.

Depois da guerra, em 1948, Frei Otto voltou a estudar arquitetura na Universidade Técnica de Berlim. Sua arquitetura seria sempre uma reação aos pesados edifícios, com colunas construídas para uma suposta eternidade. A obra de Otto, ao contrário, era leve, aberta para a natureza, democrática, de baixo custo, e às vezes até temporária.

Ele também estudou sociologia e desenvolvimento urbano na Universidade de Virginia, EUA, e realizou um doutorado de engenharia civil, em 1954, na mesma universidade que se graduou em Berlim.

Frei otto - Pavilhão do Japão

Pavilhão do Japão na Expo2000 – Foto: © Hiroyuki Hirai

Era conhecido por suas tensoestruturas, coberturas monumentais e de aparência leve para grandes instalações, como a do Parque Olímpico de Munique para os Jogos Olímpicos de Verão de 1972 (com Behnisch + Partner e outros), a do pavilhão alemão em 1967 Internacional e Exposição Universal (Expo 67), a do pavilhão do Japão na Expo 2000, em Hannover, na Alemanha (em 2000, com Shigeru Ban, vencedor  do Prêmio Pritzker de 2014), além de uma série de estruturas de tendas para exibições federais na Alemanha na década de 1950, e por seu trabalho no Oriente Médio.

Pioneiro no uso de modernas e leves estruturas de tendas, ele foi atraído para elas, em parte, pelos seus valores econômicos e ecológicos.  Também trabalhou com outros materiais e sistemas construtivos tais como o bambu, e treliças de madeira.

Diplomatic Club Heart Tent. Image © Atelier Frei Otto Warmbronn

Diplomatic Club Heart Tent. Image © Atelier Frei Otto Warmbronn

 

O pavilhão alemão da Expo 67, criado em colaboração com Rolf Gutbrod e Fritz Leonhardt, foi sua estreia internacional como um arquiteto, sendo um dos primeiros exemplos de edifício solar passivo em grande escala.

Frei Otto_Pavilhão da Alemanha - Expo 67

 

Além de ter sido professor em renomadas universidades, Otto fundou várias instituições e escreveu alguns livros, como o Biologia e Construção (Biology and Building,1972).

“Ele adotou uma definição de arquiteto que incluiu também a de pesquisador, inventor, engenheiro, construtor, professor, colaborador, ambientalista, humanista e criador de espaços e prédios memoráveis”, diz a nota do júri do Pritzker, justificando a escolha por Otto

Ele acreditava em fazer uso eficiente e responsável dos materiais, e que a arquitetura deve ter um impacto mínimo no meio ambiente. Frei Otto era um utópico que nunca deixou de acreditar que a arquitetura pode fazer um mundo melhor para todos.

Em produção com colaboração do canal de televisão PBS CPT12,  o documentário Frei Otto: Spanning The Future, pretende divulgar o perfil do arquiteto, que apesar de ter uma obra excepcional não era muito conhecido para o público em geral.

Assista o trailer abaixo, produzido por Simon K. Chiu, escrito por Michael Paglia, editado por Heather Dalton e dirigido por Josué V. Hassel:

, ,

Comments

estádio feito com contâiners no Catar

Catar apresenta projeto de estádio feito com contâiners para a Copa do Mundo de 2022

O Comitê Supremo de Entrega e Legado (SC), entidade que organiza a Copa do Mundo de 2022 no Catar, apresentou ...

10 grandes projetos de arquitetura solidária

Hoje vivemos em um mundo cheio de mazelas sociais, e por isso, é preciso boa vontade e criatividade para suprir as ...
ecotone triptyque

ECOTONE: projeto da Triptyque é premiado em competição internacional de planejamento urbano

ECOTONE é o mais novo projeto da Triptyque Architecture, com parceria com a Duncan Lewis-Scape Architecture; OXO; ...

Produtos Sustentáveis mais procurados

Tanque Coletor de Água de Chuva ( Cisterna Aparente )

Tanques para captação de água de chuva.

Ecofossa- sistema ecológico de tratamento de esgoto

Ecofossa é um sistema ecológico de tratamento de esgoto que maximiza ações de bactérias e não utiliza energia ...

Notícias mais acessadas

dicas para reaproveitar pallets

Dez dicas para reutilizar paletes de madeira

Afinal, o que é um pallet ou palete? Para que serve? A palavra pallet é de origem inglesa, e em português se ...
vantagens telhados verdes

Vantagens e desvantagens de um telhado verde. Veja exemplos.

Telhado verde, terraço jardim, cobertura vegetal, ecotelhado, telhado ecológico, são vários nomes para esse sistema ...