Princípios da Arquitetura Sustentável - SustentArqui

Rio de Janeiro 12/06/2017 | 18:19 - Por: Juliana Rangel

Princípios da Arquitetura Sustentável

Princípios da Arquitetura Sustentável

Os princípios da arquitetura sustentável se confundem com os princípios da boa arquitetura; analisar o entorno, as condições climáticas e atender as necessidades do usuário, respeitando o meio ambiente, são os principais fundamentos.

Relacionado: Arquitetura ecológica x Arquitetura sustentável – diferenças e semelhanças

A arquitetura sustentável busca minimizar os impactos ao meio ambiente, sendo ecologicamente correta, mas também deve promover o desenvolvimento social e cultural, além de ser viável economicamente.

 

Princípios da Arquitetura Sustentável :

1 – Análise do entorno:

Análise do entorno e integração do projeto ao mesmo; com respeito ao espaço urbano, valorizando as origens e a cultura local.

 

2 – Uso sustentável do terreno:

Evitar fazer modificações radicais no terreno e utilizar a menor parcela do mesmo com a construção, deixando a maior área de solo permeável possível.

 

3- Planejamento detalhado e integrado:

Projetos bem detalhados evitam desperdícios na obra, assim como a integração com projetos complementares, garantem melhor execução e resultado.

 

4 – Adaptação as condições climáticas com desenho bioclimático:

Estudar o clima do local e adaptar a edificação ao mesmo, fazendo uma orientação solar adequada, direcionando o projeto para o melhor aproveitamento passivo dos recursos naturais (ex: iluminação e ventilação natural), utilizando elementos arquitetônicos (ex: brises e cobogós) adequadamente, de modo a reduzir o consumo energético e minimizar os impactos ambientais da construção.

 

5- Atender as necessidades do usuário:

O projeto deve ser flexível e facilmente adaptável às mudanças de necessidades de uso. Atendendo as necessidades dos usuários a curto, médio e longo prazo, com respeito ao meio ambiente.

 

6- Atendimento as normas e legislações:

Parece óbvio, mas cumprir as normas é fundamental, incluindo o cumprimento das leis trabalhistas, não existe sustentabilidade sem responsabilidade social.

 

7- Uso racional da energia; 

O projeto deve contemplar estratégias para que a edificação faça o mínimo de consumo de energia possível, desde a construção até o uso, sem prejudicar o conforto. Para atingir a melhor eficiência energética da construção, ferramentas de análises climáticas, como o uso de simulações computacionais, podem direcionar melhor as decisões de projeto.

 

8- Eficiência Hídrica:

Prever a redução do consumo da água através da  de sistemas de reuso ( ex: Aproveitamento de água da chuva) e especificação de equipamentos eficientes. Assim como a adoção de sistemas para a redução do volume de esgoto

 

9- Uso racional dos materiais:

Projetar o uso dos materiais, evitando desperdícios; utilizar materiais sustentáveis ;  e especificar materiais regionais, sempre que possível.

 

10- Uso de tecnologias inovadoras:

Após a adoção de todas as estratégias passivas possíveis, deve-se usar a tecnologia a favor da eficiência da construção, sempre que for viável economicamente. Adoção de sistemas de energias renováveis; automação; sistemas construtivos industrializados e mais inteligentes; são alguns exemplos.

 

11 – Paisagismo sustentável:

Usar a vegetação a favor da eficiência energética da edificação. Projetar telhados verdes e jardins verticais podem ser boas estratégias para melhorar o conforto térmico, além de beneficiar o meio ambiente e o bem estar dos usuários. Especificar espécies nativas e adaptáveis para o reduzir consumo de água na irrigação.

 

12– Priorizar a saúde e o bem-estar dos ocupantes;

O projeto deve favorecer o conforto termo acústico, assim como adotar estratégias que promovam a boa qualidade interna do ar.

 

13 – Viabilidade Econômica:

O projeto deve tornar a construção atraente, acrescentando maior valor agregado, além de contemplar a redução dos custos de operação e manutenção

 

14- Análise do ciclo de vida da construção:

A edificação deve ser projetada para ser duradoura e de forma que possa ser desmontada com o menor impacto possível, quando acabar o seu ciclo de vida, com reaproveitamento e reciclagem dos seus resíduos.

 

15-  Promover a conscientização dos envolvidos no processo

Promover a educação ambiental a todos os envolvidos no processo, orientando os usuários a fazerem o uso consciente da edificação.

 

 

O setor da construção civil é um dos principais responsáveis pelos impactos ambientais. Além disso o ambiente arquitetônico afeta diretamente a todos nós, pois passamos a maior parte do nosso tempo em espaços construídos.

Por isso é fundamental que todos os arquitetos conheçam e apliquem os princípios da arquitetura sustentável, para a construção de ambientes ecologicamente corretos, confortáveis e saudáveis.

 

Veja alguns exemplos de projetos que utilizaram os princípios da arquitetura sustentável.

 

 

 

Comments

Sustentabilidade no Design de Interiores

Livro – Sustentabilidade no Design de Interiores

O livro Sustentabilidade no design de interiores, a autora destaca a preocupação com alguns dos problemas ...
brise

A importância do brise na arquitetura bioclimática

O brise é um dos elementos que contribuem para obter uma arquitetura mais sustentável. O seu uso adequado reduz o ...

Produtos Sustentáveis mais procurados

Tanque Coletor de Água de Chuva ( Cisterna Aparente )

Tanques para captação de água de chuva.

Ecofossa- sistema ecológico de tratamento de esgoto

Ecofossa é um sistema ecológico de tratamento de esgoto que maximiza ações de bactérias e não utiliza energia ...

Notícias mais acessadas

dicas para reaproveitar pallets

Dez dicas para reutilizar paletes de madeira

Afinal, o que é um pallet ou palete? Para que serve? A palavra pallet é de origem inglesa, e em português se ...
vantagens telhados verdes

Vantagens e desvantagens de um telhado verde. Veja exemplos.

Telhado verde, terraço jardim, cobertura vegetal, ecotelhado, telhado ecológico, são vários nomes para esse sistema ...